Outdoor provocativo que mostra Maria com teste de gravidez é cortado parcialmente em protesto. - Bem Vindo !

Outdoor provocativo que mostra Maria com teste de gravidez é cortado parcialmente em protesto.

O outdoor provocativo da igreja Saint Matthew-in-the-City gerou ira em cerca de 100 católicos. Eles se ajoelharam e rezaram diante da imagem que mostra a Virgem Maria segurando um teste de gravidez com resultado positivo.
A igreja que fica no centro de Auckland, Nova Zelândia, foi cortado com uma tesoura por membros do movimento Ação Católica.
Arthur Skinner, porta-voz do grupo, assumiu a responsabilidade e garantiu que destruirá o outdoor novamente se ele foi substituído.
“Isto é uma coisa satânica. Este é o ataque satânico final, quando Lúcifer ataca seu pior inimigo, a Santíssima Virgem. Esta igreja é administrada por gays e feministas. Eles afirmam ser cristãos e mesmo assim colocam uma imagem blasfema da Virgem, atacando a sua virgindade e o fato de ela serve a mãe de Cristo, o Deus-Homem.”.
O reverendo Glynn Cardy, responsável pela igreja Saint Matthew, disse o Sr. Skinner deixou uma mensagem ameaçadora na secretária eletrônica da igreja. Ele se diz decepcionado por não haver mais tolerância a opiniões divergentes na sociedade.
“Eles são bem-vindos para protestar, se quiserem. Tudo bem, eles obviamente se sentiram ofendidos com isso. Eu só estou desapontado que esse sentimento os levou ao vandalismo.”
A motivação para o outdoor foi fazer as pessoas pensarem nas circunstâncias sociais que Maria enfrentou quando descobriu que teria um filho, explica o pastor. “Ela foi acusada de ter um filho ilegítimo. Era uma mulher pobre e jovem. Era uma mulher de enorme coragem e fé, não uma espécie de ícone plastificado, alguém que não tem sentimentos humanos.”
Não é a primeira vez que a igreja gera revolta com seus outdoors.
Dois anos atrás, perto do Natal exibiu uma imagem mostrando Maria e José na cama com a frase: “Pobre José, Deus é um rival difícil de vencer”.

O cartaz provocou tanta raiva na população que foi destruído e recolocado diversas vezes.
Cardy disse que o cartaz não foi criado para irritar as pessoas. “Eles são projetados para fazer as pessoas conversarem sobre uma mensagem, e as pessoas estão falando sobre isso. Nossa página de Facebook teve 21,5 milhões de acessos e os comentários por lá são bastante equilibrados… há realmente alguns debates muito bons no site”.
Lyndsay Freer, porta-voz da Igreja Católica da Nova Zelândia, afirma que o grupo Ação Católica não tem “absolutamente nada” a ver com a Igreja Católica do país. “Eu faço críticas ao cartaz, mas a última coisa que gostaríamos de fazer seria algo destrutivo”, disse ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário