JMJ Rio 2013 será passo importante na grande tarefa da Igreja de evangelizar os jovens, afirma Card. Rylko - Bem Vindo !

JMJ Rio 2013 será passo importante na grande tarefa da Igreja de evangelizar os jovens, afirma Card. Rylko

     
Em entrevista exclusiva com ACI Digital pouco antes de regressar a Roma com a comitiva do Pontifício Conselho para os leigos (PCL) após uma visita que durou 5 dias, Dom Stanislaw Rylko, afirmou que o seu dicasterio espera que a JMJ Rio 2013 seja outro passo importante na uma grande tarefa que a Igreja enfrenta hoje: a Evangelização dos jovens em todo o mundo”.

O Cardeal Stanislaw Rylko se confessou admirado com o avanço dos trabalhos e o entusiasmo dos voluntários, na sua grande parte jovens, na sua conferência de imprensa, mas também ficou impressionado com o que viu da estrutura do Rio de Janeiro.

No dia 29 de fevereiro, após a visita ao Centro de Operações da Prefeitura do Rio de Janeiro, um escritório criado com tecnologia de última geração para monitorar o tráfico veicular, as câmeras de segurança e dar à polícia e os bombeiros toda a informação necessária para poder agir, o purpurado afirmou que os membros do PCL estavam “muito impressionados com essa tecnologia de informação de alto nível. Isso nos faz esperar que em julho de 2013 a organização da cidade do Rio possa funcionar perfeitamente”.

Embora tenham visitado vários lugares onde possivelmente ocorrerão os eventos centrais da JMJ, o arcebispo do Rio advertiu que não se deve “gerar falsas expectativas sobre o tema”, pois esta decisão será tomada em conjunto entre uma equipe do PCL e da assessoria pessoal do Papa. Espera-se que para o mês de julho os locais estejam definidos.

Já em entrevista exclusiva com ACI Digital, Dom Stanislaw Rylko compartilhou as expectativas do PCL em relação à próxima JMJ: “Esperamos que seja outro passo importante em uma grande tarefa que a Igreja enfrenta hoje: a nova Evangelização. Evangelização do mundo dos jovens. As JMJs em sua história, que já leva mais de um quarto de século, demonstraram ser um instrumento evangelizador de extraordinária força. Tenho certeza que Rio dará uma forte confirmação deste fato”.

Ao ser perguntado sobre como deve ser a preparação da Igreja brasileira e de toda a América para a JMJ no Rio, Dom Rylko afirmou que a Igreja latino-americana hoje já se encontrava em um bom caminho de preparação “seguindo este importante projeto que é a grande missão continental”.
“A JMJ do Rio se insere precisamente neste importante contexto”, ressaltou.

Finalmente ACI Digital perguntou à Sua Eminência sobre como ele vê a situação da juventude brasileira e em geral da América Latina hoje; pergunta à qual o purpurado respondeu dizendo que “é muito difícil neste breve momento fazer uma análise precisa da situação da juventude lantino-americana. Do que nós vimos e ouvimos uma coisa é certa: que na juventude latino americana existem tantos recursos de bem que a Igreja na América Latina deve saber como trazer isto a tona e usá-lo em todo seu potencial. Gostaria de retornar àquilo que já afirmei: Os Jovens de hoje, e especialmente os jovens latino-americanos, são muito melhores do que os mass media os apresentam, e isto porque muitas vezes os meios de comunicação se concentram no aspecto negativo dos jovens. As Jornadas mundiais da Juventude serve também a este objetivo de mostrar ao mundo um outro rosto da juventude contemporânea. E tenho certeza que este será o caso dos jovens do Rio de Janeiro”.

O Cardeal polonês acrescentou à sua entrevista que “cada JMJ é um grande laboratório da fé, um laboratório de dimensões planetárias, durante o qual e dentro do qual se desenvolve este importante diálogo, esta partilha, ou intercâmbio sobre as diversas formas de viver a fé hoje. Assim, eu creio que os jovens europeus e norte-americanos que venham ao Brasil poderão aprender muitas coisas”.

“O Santo Padre Bento XVI nos disse recentemente que durante a Jornada mundial da juventude nasce um novo modo de ser cristão, um modo rejuvenescido cheio de entusiasmo e alegria, e que vai contra a corrente deste tipo de atitude que vê no cristianismo um obstáculo à liberdade e à felicidade. Na verdade, as JMJs dizem exatamente o contrário. A fé traz uma grande felicidade e uma grande liberdade. Para o tempo de hoje isto é uma mensagem muito importante”, concluiu o cardeal que regressou a Roma na tarde de sexta-feira.

No final do mês haverá outra reunião entre membros do Comitê Local de Organização e do Pontifício Conselho para os Leigos em Roma, na qual será feito um balanço sobre Madrid e será lançado o caminho de preparação para a JMJ Rio 2013. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário