A oração valente e humilde do coração consegue milagres, diz o Papa



 A oração valente e humilde, feita com o coração entregue à fé em Deus, consegue milagres; disse o Papa Francisco na homilia da Missa que presidiu nesta manhã na Casa Santa Marta onde reside.
O Santo Padre disse que os cristãos devem rezar entregues, confiando no Senhor e pedindo com valentia aquele favor que pedem: "uma oração valente, que luta para chegar àquele milagre; não aquelas orações de circunstâncias, ‘Ah, rezarei por ti’: rezo um Pai Nosso, uma Ave Maria e, depois me esqueço. Não: oração valente, como aquela de Abraão que lutava com o Senhor para salvar a cidade, como aquela de Moisés que tinha as mãos em alto e se cansava, rezando ao Senhor; como aquela de tantas pessoas, de tanta gente que tem fé e com a fé reza, reza".
Francisco disse que "a oração faz milagres, mas temos que acreditar! Acho que podemos fazer uma bela oração… e dizer ao Senhor hoje, durante toda a jornada: ‘Eu tenho fé, Senhor, mas ajuda a minha falta de fé’... e quando nos pedem para rezar por tanta gente que sofre nas guerras, pelos refugiados, por todos os dramas da atualidade, reze ao Senhor, mas com o coração".
Sobre a passagem do Evangelho de hoje, na que os discípulos não conseguem curar um menino e na que o mesmo Jesus teve que intervir lamentando a incredulidade dos presentes; o Papa recordou que o Senhor pede ajuda ao pai daquele menino, responde que "tudo é possível para o quem tem fé". O Pontífice observou que frequentemente também aqueles que amam a Jesus não arriscam muito na sua fé e não se confiam completamente a Ele:
"Mas por que, esta incredulidade? Acho que é justamente o coração que não se abre, o coração fechado, o coração que quer ter tudo sob controle".
É um coração que "não se abre" e não "deixa o controle das coisas a Jesus", explicou o Papa, e quando os discípulos lhe perguntam por que não puderam curar o jovem, o Senhor responde a eles que "essa espécie de demônios não pode ser expulsa de nenhum modo, a não ser pela oração".
"Todos nós levamos um pouco de incredulidade dentro". É necessária "uma oração forte, e esta oração humilde e forte faz com que Jesus possa obrar o milagre. A oração para pedir um milagre, para pedir uma ação extraordinária deve ser uma oração coral, que envolva a todos".
O Santo Padre narrou logo uma situação que aconteceu na Argentina: uma menina de 7 anos ficou doente e os médicos lhe deram poucas horas de vida. O pai, um eletricista, "homem de fé", "ficou louco e naquela loucura" pegou um ônibus para ir ao Santuário Mariano de Luján, que fica a 70 quilômetros de Buenos Aires.
O senhor "chegou aí depois das 9h da noite, quando já estava tudo fechado. E começou a rezar à Virgem, com as mãos agarradas à grade de ferro. E rezava, e rezava, e chorava, e rezava … e assim, permaneceu toda a noite. Mas este homem lutava: lutava com Deus, lutava junto a Deus pela cura da sua filha".
"Logo, depois das 6h da manhã, foi ao terminal, pegou o ônibus e chegou ao hospital às 9h, mais ou menos. Encontrou a sua esposa chorando. imaginou o pior. ‘O que aconteceu? Não entendo, não entendo! O que aconteceu?’. ‘Vieram os doutores e me disseram que a febre passou, que respira bem, que não tem nada! A deixarão em repouso por mais dois dias, mas não entendem o que foi que aconteceu! Isto ainda acontece, né? Os milagres existem!".
Share on Google Plus

Sobre o Setor de Comunicação