Visita Pastoral: Uma Igreja em Estado permanente de missão - Bem Vindo !

Visita Pastoral: Uma Igreja em Estado permanente de missão



Neste ano estamos encerrando as visitas pastorais em nossa Diocese. As últimas paróquias serão as de Mossoró, começando oficialmente na celebração de Corpus Christi, no dia 30 de maio, e encerrando com a festa de Cristo Rei do Universo, no mês de novembro. A primeira paróquia será a do Menino Jesus, de 02 a 16 de maio, e a última será a Catedral, de 17 a 24 de novembro.
Durante todo este tempo ressaltamos a visita pastoral como sendo não apenas uma obrigação canônica do bispo que tem o dever, de cinco em cinco anos, visitar toda a Diocese, mas como uma presença do pastor que se aproxima do seu rebanho e na imagem de Cristo Bom Pastor deseja revelar a ternura de Deus. É por isso que acontecem sempre com um caráter missionário onde o bispo visita todas as comunidades, realiza encontros com pastorais e ainda, numa visita de cortesia, vai ao encontro de instituições e autoridades civis, promovendo e fomentando o diálogo com toda a sociedade.
Depois de um longo período percorrendo toda a Diocese, temos uma visão mais clara da realidade em que vivemos, em seus vários aspectos: social, político, econômico e particularmente religioso. Para evangelizar é preciso conhecer o chão em que pisamos e os destinatários da boa nova de Jesus. Está sendo um período muito rico no sentido de crescimento espiritual, fortalecimento da fé, de comunhão entre as comunidades paroquiais e unidade de toda a Diocese. O conceito de dioceseneidade, no sentido de que não somos comunidades isoladas, mas uma rede de comunidades integradas enquanto Igreja particular de Mossoró e por estar a Igreja Católica no mundo inteiro, tem crescido no coração e nas pastorais.
Nosso desejo é de sermos uma Igreja viva, participativa e capaz de ser sinal do Reino de Deus no mundo em que vivemos. Daí a necessidade de nos empenharmos todos na busca da comunhão e da unidade da fé, evitando o isolacionismo, uma pastoral individualista, subjetivista  e fechada em si mesma, mas aberta e dócil ao sopro do Espírito Santo, alma da Igreja e protagonista da missão. Que a voz de Cristo, nosso Mestre e Senhor, ecoe  em nossos corações quando diz: “avance para águas mais profundas”. E em “obediência a sua Palavra” não hesitemos em lançar as redes.  Deus abençoe a todos e nos conceda a graça de sermos fiéis à missão que Ele mesmo nos confia.


Dom Mariano Manzana- Bispo Diocesano