A Santíssima Virgem é Mãe de Deus


Que graça, para nós, começar o primeiro dia do ano contemplando este mistério da Encarnação, que fez da Virgem Maria a Mãe de Deus! Muitos dizem que Maria é apenas mãe da pessoa humana de Jesus, uma mãe como outra qualquer e que, por isso, não há razão em cultuá-la. Esta concepção de que Maria seria apenas mãe de Jesus feito homem, defendida por Nestório, foi condenada no Concílio de Éfeso, o qual afirmava que Maria é Theotokos, isto é, Mãe de Deus.  
Essa heresia, conhecida como nestorianismo, atinge a verdade sobre Jesus Cristo, o Filho de Deus feito homem, verdade fundamental do Cristianismo. Pergunto: quem foi que morreu por nós na cruz? Foi unicamente a pessoa humana de Jesus? Se admitíssemos que existem duas pessoas – a divina e a humana – de Jesus e que foi a pessoa humana d'Ele que nasceu da Virgem Maria, então seríamos obrigados a admitir também que foi somente Sua pessoa humana que morreu na cruz. Portanto, a morte de Jesus não teria nenhum valor, pois foi simplesmente um homem que morreu na cruz. 

Graças a Deus, a verdade não é essa! A única pessoa do Filho de Deus assumiu a natureza humana no seio da Virgem Maria e essa única pessoa, agora Deus e Homem, foi à cruz e por nós morreu. Sua morte teve valor, porque a única pessoa de Jesus é que foi à cruz. Ele sofreu e morreu na Sua natureza humana, na Sua carne. Mas essa natureza humana pertence à única pessoa divina de Jesus, que assumiu a carne no ventre da Virgem Maria. Com essa carne, Ele vai à cruz; com esta natureza humana, Ele derrama o Seu Sangue.
Mas Ele é uma única pessoa – pessoa de Jesus, Deus e homem que morre na cruz e nos salva. Fomos salvos pela cruz, pela morte, pelo Sangue de Jesus, porque o Filho de Deus assumiu natureza humana no ventre de Maria. O Filho de Deus tem natureza humana: Ele é Homem, tem corpo, carne, sangue; sofre, padece dores. Por isso que esta única pessoa do Filho de Deus pôde morrer na cruz. E morreu livremente por nós. Por isso, fomos salvos.
Quem morreu na cruz não foi um simples homem, foi o Filho de Deus. Se, simplesmente, o Homem Jesus tivesse morrido na cruz, seria somente mais um homem morrendo. Naquele tempo, muitos judeus morriam na cruz. O povo estava acostumado a ver aquele espetáculo. Jesus não foi o único a ser crucificado. Não foi a morte na cruz que nos salvou, porque, se apenas um mero mortal tivesse morrido nela, a história da humanidade não teria sido mudada. Mesmo que morresse voluntariamente, mesmo que morresse por amor. Seria uma pessoa humana morrendo na cruz. A grande diferença é que o Filho de Deus, que assumiu a natureza humana no ventre de Maria, derramou Seu Sangue e morreu por nós. Pôde salvar-nos porque era um Deus padecendo, sofrendo, derramando Sangue, voluntariamente. Morrendo por nossa causa, morrendo em nosso lugar. Por isso, todos nós precisamos da presença ativa de Maria em nossas vidas. A Santíssima Virgem é Mãe de Deus.


Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova

Share on Google Plus

Sobre o Setor de Comunicação