Capela de São Francisco - Sitio Coroatá - Bem Vindo !

Capela de São Francisco - Sitio Coroatá



A Senhora Liberalina Maria da Conceição residia no sítio Coroatá   desde sua infância. Casou-se com José Cordeiro dos Reis e tiveram 08 filhos. Família feliz e hospitaleira, agregava a todos que o procuravam. Faleceu em 23 de março de 19 44. Ainda hoje residem aqui alguns dos seus familiares como, Ari de Souza Nunes e Neri Nunes dos Santos, Judite Nunes dos Santos. No dia 22 de fevereiro de 1938 a filha mais nova do casal, a senhorita Francisca Lopes Nunes sofria de depressão e teve morte trágica suicidando-se num matagal. Sua mãe senhora muito religiosa fez um voto pela salvação da filha, e doou o terreno para construir uma igreja de frente ao local em que ela faleceu, e o padroeiro seria São Francisco em homenagem ao seu nome.
     No Ano de 1939 iniciou-se a construção da igreja com recursos da filha falecida, pois a mesma possuía algumas cabeças de gado. Liberalina construiu também um espaço murado, colocou uma cruz, plantou roseiras e todos os dias rezava e cuidava daquele espaço. A igreja foi construída por Cassiano Caninana e Raimundo Francisco, e o piso de cimento queimado foi rebordado por Antonio de Aninha, que também confeccionou as portas de madeira. Existia um altar semelhante ao da igreja da Conceição (PB)que embelezava o templo.    No ano de 1940 concluíram os serviços e o senhor Felinto Ferreira dos Santos dirigiu-se a Mossoró para registrar a capela na Diocese.
       A imagem de São Francisco e o sino vieram   da Alemanha com recursos da família e trazidos pelo padre Humberto da paróquia de Patu, chegando no mesmo ano da inauguração. Foi feito pedido de dois sinos e propositadamente vieram em navios diferentes e um deles   foi bombardeado e naufragou, consequência de ataques da 2ª guerra mundial. A imagem de São Francisco foi conduzida de Patu ao Coroatá nos braços dos senhores Felinto Ferreira dos Santos e Antonio Medeiros.
       Em 1941 aconteceu a primeira festa. As equipes se deslocavam a cavalo ou a pé para angariar recursos financeiros e prendas para o leilão, cuja renda era aplicada na manutenção da capela e da paróquia.   A comissão da festa era formada por:  Liberalina, Zefinha, Júlia, Maria Brejeira, Emídia, Fransquinha, Ilda, Elita, Totonho, Zé Nunes. Organizavam barracas, leilão, procissão e encerravam com forró. Cantoras da igreja: Júlia, Maria Brejeira, Ilda, Adir, Rita Cordeiro e Edite. Tinham como professoras de canto as senhoras Bastinha Vitorino, Lainha, Francisca Solano e Alvanir Solano. Santa Terezinha também foi comprada com recursos da família e chegou no ano de 1953.  Da Várzea do Antonio para capela, veio em procissão à pé, com fogos, oração e muita animação.  Na época era o padre Agostinho que vinha a cavalo celebrar as missas, e anualmente antes da festa, familiares e amigos restauravam a estrutura interna e externa, muitas vezes em forma de mutirão, preservando sua originalidade que se mantém até hoje.
        Relembramos o nome de alguns padres que já celebraram missa na capela: Humberto, Henrique, Eurico, Frederico, Jacob, Fernando, Silvano, Antonio Nunes José, Tarcízio,  Irismar, Pedro, Domingos, Marcondes, Porcídio, Ricardo Rubens e em 2011 o Bispo Dom Mariano, quando veio inaugurar a casa do mel. Nossa Senhora Aparecida veio de Aparecida do Norte no ano de 1982, e o Cristo crucificado, ambos foram doação de devotas  da comunidade. 
       Em 2010 Ricardo Veriano artista plástico da família, restaurou gratuitamente as imagens de São Francisco e Santa Terezinha.  A  sineta da mesa sagrada também  foi doação de uma devota da comunidade. Por muitos anos deixou-se realizar festejos, havia apenas a missa no dia 04 de outubro, e durante o mês de maio a comunidade se reunia para rezar o terço na igreja ou nas casas, prática que se repete todos os anos. Depois sentiu-se a necessidade de retomar os trabalhos de evangelização e Judite, zeladora do templo, fazia tudo com muito amor e no ano de 1963 assumiu a catequese preparando as crianças para primeira Eucaristia que acontecia na missa do padroeiro.
                Em 2004 constatou-se que o teto da igreja estava com bastante cupins e   a cobertura foi substituída por telhas de Brasilit. Em 2010 substituímos o piso de cimento por cerâmica, doação de uma devota da comunidade, e as portas de madeira por ferro. Em 2011   trocamos toda parte elétrica, revestimos o forro de gesso rebaixado com design moderno, e modernas luminárias de teto e ventiladores de parede. Revestimos todo o patamar da igreja com cerâmica e fixação de 03 mastros de ferro, além de um corre mão   também de ferro, afixado   na escadaria de 22 degraus que dá acesso a capela. A cerâmica o corre mão e os ventiladores, foram doações de devotos da comunidade.  Salientamos que até hoje toda benfeitoria da capela e manutenção da área adjacente, é realizada com doações ou   recursos financeiros de familiares e amigos. Desde novembro de 2010 nossa comunidade recebe com muita alegria a imagem peregrina de Nossa Senhora dos Impossíveis do Santuário do Lima.
      Depois que Almino Afonso passou a paróquia, as celebrações estão acontecendo com mais frequência graças ao nosso pároco George Lourenço dos Santos , nos sentimos motivados a retomarmos a catequese e realizarmos as festas do nosso padroeiro.