Imagens da Santa Missa, Coroação de Nossa Senhora e Bodas de Ouro do casal Jose Belarmino e Selma Carneiro.




CLIQUE AQUI e veja mais imagens da Santa Missa e Coroação de Nossa Senhora realizada dia 31 de Maio da Igreja Matriz do SCJ em Almino Afonso.











CLIQUE AQUI e veja as imagens das Bodas de Ouro do casal José Belarmino e Selma Carneiro na Igreja Matriz do SCJ em Almino Afonso.

Grupo Sementes de Maria realiza o 16º Cristo Vive.

O Grupo de Oração Sementes de Maria da Renovação Carismática Católica realizará de 26 a 28 de Junho de 2015 aqui em Almino Afonso a 16ª edição do Cristo Vive com o tema: Se vivemos pelo espirito, andemos de acordo com o espirito.


As camisetas já estão sendo vendidas ao preço de R$:20,00 quem estiver interessado em adquirir, procurar os servos da do grupo, ou ligar pelo fone/wattsapp: (84) 96204431 



Solenidade de Corpus Christi em Almino Afonso


Imagens da Santa Missa na Capela de São José

Foi celebrada na tarde desta terça feira, 19 a primeira missa fora das festividades de São José na capela que leva seu nome no mirante de São José em Almino Afonso.
A Capela de São José foi a segunda capela construida em Almino Afonso no ano de 1902 e de lá para cá só era celebrada 1 única missa por ano, nos dia 19 de março. (clique aqui e veja a história completa da capela.)
A ideia surgiu após uma reunião com a comissão organizadora da festa de São José e foi lançada a proposta de todos os dias 19 de cada mês a comunidade se reunir para celebrar uma missa na capela que até então ficava fechada o ano inteiro e o Pe. Thiago abraçou a missão que se fez realidade no dia de hoje, a celebração contou com muitos devotos do Pai adotivo de Jesus e foi agraciada com um lindo por do sol, esperamos que essa missa seja apenas uma de muitas que estarão por vir.

CLIQUE AQUI  e veja as imagens da Santa Missa.

Homem invade Catedral de Santa Luzia e quebra a marretadas a vidraça do Cristo Morto

Na manhã deste sábado, 16, um homem ainda não identificado quebrou o vidro que protege o Cristo Morto na Catedral de Santa Luzia de Mossoró. O fato ocorreu por volta das 8h e assustou funcionários e as pessoas que faziam orações no momento.
Segundo o secretário da Paróquia de Santa Luzia, Fabrício Brito, o homem entrou tranquilamente na Catedral se aproximou do Cristo Morto. Disse ainda que no momento do ataque havia uma senhora orando. “O homem entrou e se dirigiu para o local onde está o Cristo Morto, chegou perto e começou a dar marretadas na vidraça. Foram umas três ou quatro”.
Fabrício informou que o Padre Walter Collini já se dirigiu a delegacia para fazer o boletim de ocorrência, os policiais que estiveram presentes na Catedral viram as imagens das câmeras de segurança e estão em diligência para prender o responsável pelo ato de vandalismo.
“Pelas imagens notamos que ele é um senhor de idade usando camisa azul e bermuda estampada e que por precaução retiramos a imagem histórica de Santa Luzia do local habitual e à colocamos em um lugar mais seguro para evitar novos ataques e em seu lugar colocaremos uma réplica. Essa imagem tem mais de 100 anos”.
O secretário disse ainda que essa não é a primeira vez que a Catedral sofre esse tipo de ataque, segundo ele, alguns anos atrás houve algo semelhante no local.

Fonte: Diocesedemossoro.com

Igreja celebra 49º Dia Mundial das Comunicações Sociais

Neste domingo, 17, Igrejas de todo o mundo comemoram o 49º Dia Mundial das Comunicações Sociais. Esta celebração é o único Dia Mundial estabelecido pelo Concílio Vaticano II e tem como objetivo chamar a atenção para o vasto e complexo fenômeno dos modernos meios de comunicação social existentes nos dias atuais.
O Papa Paulo VI foi o primeiro a comemorar o Dia Mundial das Comunicações, que aconteceu no dia 7 de Maio de 1967.
A data foi instituída com o decreto Inter Mirifica. Desde então, vem sendo celebrada em muitos países no domingo que antecede a Festa de Pentecostes (em 2015, 17 de maio). A mensagem do Papa para a ocasião é publicada, tradicionalmente, no dia 24 de janeiro, festa de São Francisco de Sales, padroeiro dos jornalistas.
Em sintonia com as reflexões do Sínodo da Família, o Papa Francisco propôs como tema do Dia Mundial das Comunicações Sociais 2015 uma temática semelhante: “Comunicar a família: ambiente privilegiado do encontro na gratuidade do amor”.
Mensagem do Papa Francisco
O Pontífice trata das famílias e suas mudanças culturais, ressaltando os seus diversos aspectos e seu envolvimento com a comunicação.
Um dos destaques foi a colocação de Francisco, na qual aponta a família como “ventre” maternal das pessoas nesse mundo, onde é possível ter a experiência do encontro das diferenças na gratuidade do amor.
“Diferenças de gêneros e de gerações, que comunicam, antes de mais nada, acolhendo-se mutuamente, porque existe um vínculo entre elas.”
A mensagem também expõe a forma como os meios de comunicação social falam da família. Muitas vezes, apresentam-na como um modelo abstrato a aceitar ou rejeitar, e não como uma realidade concreta a ser vivida.
“A família mais bela, protagonista e não problema, é aquela que, partindo do testemunho, sabe comunicar a beleza e a riqueza do relacionamento entre o homem e a mulher, entre pais e filhos. Não lutemos para defender o passado, mas trabalhemos com paciência e confiança, em todos os ambientes onde diariamente nos encontramos, para construir o futuro”

Perdemos tudo menos a fé, declarou religiosa Iraquiana diante do Congresso norte-americano

Como membro de uma delegação iraquiana convidada a um comitê do Congresso dos Estados Unidos, a irmã Diana Momeka, que teve inicialmente seu visto negado pelo consulado americano no Iraque assinalou: “Depois de ter perdido nossas casas, nosso patrimônio e nossa dignidade, os cristãos do meu país foram vítimas do Estado Islâmico e nos sentimos abandonados pela comunidade internacional, mas nossa fé em Deus se mantém inquebrável”.
A religiosa havia solicitado um visto de não-residente (visitante) para entrar nos Estados Unidos e inicialmente foi negado devido à sua suposta condição de “deslocada interna” e um suposto risco que ela ficasse nos EUA como imigrante ilegal.
Após a pressão sobre o Departamento de Estado, finalmente a religiosa pôde ingressar aos Estados Unidos e falar diante do Comitê de Assuntos Exteriores da Câmara dos Deputados sobre "a guerra do ISIS contra as minorias religiosas".
"Não sou mais que uma mera pessoa, vítima da brutalidade do ISIS", declarou a religiosa num testemunho escrito para o Comitê de Assuntos Exteriores.
A fé dos cristãos iraquianos deslocados está "aumentando cada vez mais", afirmou a religiosa a Dominicana ao Comitê de Relações Exteriores da Câmara dos Estados Unidos no dia 13 de maio, dia da Virgem da Fátima.
“Muitos cristãos deslocados vivem em péssimas condições: famílias procuram refúgio em contêineres, pais desempregados e crianças sem escolas. Entretanto, o espírito não se abateu pelas adversidades. Esta situação faz que sejamos mais fortes", declarou a Irmã Momeka.
"Fomos deslocados, entretanto sentimos que a mão de Deus ainda está conosco... No meio desta escuridão, deste sofrimento, vemos que Deus está nos abraçando". É um "dom do Espírito Santo" ser capazes de permanecer com fé em meio às dificuldades”, explicou a irmã Diana.  
A religiosa faz parte da comunidade das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena, originárias de Mosul, no norte do Iraque. Os militares islâmicos bombardearam seu convento em 2009 e depois de que madre superiora solicitou a proteção do governo local sem ter resposta, a irmã Diana e sua comunidade tiveram que mudar-se para a cidade iraquiana de Qaraqosh.
A investida do ISIS as alcançou no verão passado. À medida que o Estado Islâmico arruinava regiões do Iraque e da Síria estabelecendo um califado, mais de 120 mil iraquianos foram deslocados da Meseta do Nínive, pressionados a converter-se ao Islã e pagar um imposto (jizya) ao ISIS ou fugir imediatamente.
A comunidade religiosa se mudou novamente, desta vez ao Curdistão. "Tiraram-nos das nossas casas em menos de duas horas e sem nenhuma advertência", relatou a religiosa.
“Quase não existem cristãos em Mosul a exceção de umas cem pessoas que foram capturadas como reféns pelo ISIS.
"Vir aqui foi difícil para mim. Como religiosa não estou de acordo com os meios de comunicação e chamar tanta atenção, mas estou aqui para suplicar que por favor nos ajudem, pelo bem de toda a humanidade”, admitiu a religiosa Dominicana.
Os cristãos do norte do Iraque perderam "quase tudo" quando o ISIS destruiu e profanou as igrejas, os santuários e outros lugares sagrados.
"Perdemos tudo e agora, todos os cristãos que vivem na região do Curdistão, sentem que perderam a dignidade. Pois perderam suas casas, perderam tudo o que tinham. Perderam seu patrimônio e sua cultura".
Quando os monastérios que existiram durante séculos são destruídos, isto é um sinal de que "sua história acabou, que foi reduzida a nada", lamentou a religiosa.
As crianças estão crescendo sem uma educação adequada e a vida de várias famílias mudaram bastante. Nos sentimos abandonados”, assinalou.
Em seu testemunho a irmã Diana denunciou: “As autoridades locais e regionais ofereceram pouca ajuda aos deslocados e reagiram a esta crise de maneira ultra modesta e lenta".
O governo curdo permitiu que os refugiados cristãos cruzassem as suas fronteiras, mas não lhes oferece nenhuma ajuda mais significativa. Entretanto, a religiosa assinalou: “A Igreja no Curdistão ajudou enormemente os cristãos proporcionando alimentos, refúgio e apoio de outras maneiras.
Em última instância, os cristãos deslocados querem voltar para suas casas casa e serem reinstalados em outro lugar, insistiu.
"Muitas pessoas dizem 'seria melhor que os cristãos abandonem o Iraque, mudem-se a outro país e se conformam com isso.' Mas, por que devemos sair de nosso país? O que fizemos?", questionou.
"Os cristãos do Iraque são os primeiros habitantes dessa terra", assegurou a irmã. "Embora nossos ancestrais tenham experimentados diferentes formas de perseguição, eles ficaram em sua terra, construindo uma cultura que serviu a humanidade de todos os tempos".
“A único que queremos é voltar à nossa vida normal; não queremos nada mais que voltar para casa", concluiu a Irmã Diana Momeka.

Fonte: ACI Digital.